Aspectos epidemiológicos da dengue em Araçuaí, médio Vale do Jequitinhonha, Minas Gerais

  • Dhiego Gonçalves Pacheco
  • Lúcio do Carmo Moura
  • Rosana Passos Cambraia

Resumo

A dengue é uma doença infecciosa febril, transmitida pelo mosquito Aedes aegypti, que no Brasil representa uma epidemia. O objetivo da pesquisa foi descrever os aspectos epidemiológicos dos casos de dengue notificados no município de Araçuaí, Minas Gerais, Brasil, no período de 2014 a 2018, de forma descritiva e quantitativa, com dados obtidos do Sistema de Informação de Agravos de Notificação. Utilizou-se o teste de correlação de Pearson para análise entre a incidência e as variáveis climáticas. No período foram notificados 1.138 casos de dengue, observou-se predomínio feminino (62,4%), faixa etária prevalente de 20 até 49 anos (54,6%) e nível de escolaridade foi o fundamental completo (14,6%). Observou-se o aumento progressivo da incidência de dengue nos anos de 2015 (1.443,92%), 2016 (1.046,84%) e 2017 (352,65%), e queda em 2018 (108,29%). Não foi observada correlação entre as variáveis climáticas e incidência. Conclui-se que, após a identificação dos aspectos epidemiológicos da dengue em Araçuaí, os resultados apontam o município como endêmico, caracterizado como área de média incidência. O monitoramento do vetor pelo setor de vigilância epidemiológica deve acompanhar rotineiramente a identificação das áreas de risco para a adoção de ações de controle e redução da doença no município.

Referências

Aleixo NCR, Sant’anna Neto JL. 2011. Percepções e riscos: abordagem socioambiental do processo saúde-doença. Mercator 10(22): 191-208. [online] URL: http://www.mercator.ufc.br/index.php/mercator/article/view/622

Araújo RR, Nunes JS. 2005. Relações geográficas entre o clima e a incidência de dengue na cidade de São Luís - MA. Brasil. Ciências Humanas em Revista 3(2): 93-108. https://www.researchgate.net/publication/266867771

Araujo VEM, Bezerra JMT, Amâncio FF, Passos VMA, Carneiro M. 2017. Aumento da carga de dengue no Brasil e unidades federadas, 2000 e 2015: análise do Global Burden of Disease Study 2015. Revista Brasileira de Epidemiologia 20(1): 205-216.
http://dx.doi.org/10.1590/1980-5497201700050017

Beltran Silva SL, Hernadez CSS, Palacios EM, Molina PJA. 2018. Clinical and differential diagnosis: Dengue, Chikungunya and Zika. 2018. Revista Médica del Hospital General de México 81(3): 146-153.
http://doi.org/10.1016/j.hgmx.2016.09.011

[Brasila], Ministério da Saúde. 2019. Dengue: causas, sintomas e tratamento e prevenção. [online] URL: http://portalms.saude.gov.br/saude-de-a-z/dengue

[Brasilb]. Ministério da Saúde. 2019. Dengue: descrição da doença. [online] URL: http://portalms.saude.gov.br/saude- de-a-z/dengue/descricao-da-doenca

[Brasilc]. Ministério da Saúde. 2019. Portaria 204, de 17 de fevereiro de 2016. [online] URL:
http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2016/prt0204_ 17_02_2016.html

Brasil. Ministério da Saúde. 2007. Secretaria de Vigilância em Saúde. Dengue: diagnóstico e manejo clínico – Adulto e Criança. 3. ed. Brasília: Ministério da Saúde. [online] URL: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/dengue_diagnost ico_manejo_adulto_crianca_3ed.pdf

Brasil. Ministério da Saúde. 2009. Secretaria de Vigilância em Saúde. Diretrizes Nacionais para Prevenção e Controle de Epidemias de Dengue. 1. ed. Brasília: Ministério da Saúde. [online] URL: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/diretrizes_nacion ais_prevencao_controle_dengue.pdf

Cavalcante MPR, Oliveira C, Simão FB, Lima PR, Monteiro PS. 2013. Geospatial analysis: a study about dengue. Acta Paulista de Enfermagem 26(4) 360-368. http://dx.doi.org/10.1590/S0103-21002013000400010

Elbi KL, Nealon J. 2016. Dengue in a changing climate. Environmental Research (151) 115-123.: http://doi.org/10.1016/j.envres.2016.07.026

Feitosa FRS, Sobral IS, Jesus EN. 2015. Indicadores socioambientais com subsídios a prevenção e controle da Dengue. Revista Eletrônica em Gestão, Educação e Tecnologia Ambiental 19(3) 351-368.
http://doi:105902/2236117018239

Ferreira AC, Chiaravalloti Neto F, Mondini A. 2018. Dengue em Araraquara, SP: epidemiologia, clima e infestação por Aedes aegypti. Revista de Saúde Pública 52(18) 1-10. http://dx.doi.org/10.11606/s1518-8787.2018052000414

Gonçalves Neto VS, Rebelo JMM. 2004. Aspectos epidemiológicos do dengue no município de São Luis, Maranhão, Brasil, 1997-2002. Revista Cadernos de Saúde Pública 20(5) 1424-1431. http://dx.doi.org/10.1590/S0102- 311X2004000500039

Gontijo CMF, Silva ES, Fuccio MB, Souza MC, Pacheco RS, Dias ES, Andrade Filho JD, Brazil RP, Melo MN. 2002. Epidemiological studies of an outbreak of cutaneous leishmaniasis in the Rio Jequitinhonha Valley, Minas Gerais, Brazil. Acta Tropica 81(2) 143-150. [online] URL: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/11801221

Guzmán MG, Kouri G. 2004. Dengue diagnosis advances and challenges. International Journal of Infectious Diseases (8) 69-80. http://doi.org/10.1016/j.ijid.2003.03.003

[IBGE] Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Cidades. 2019. [online] URL: https://cidades.ibge.gov.br/brasil/mg/aracuai/panorama

Mahmoud FF. 2012. Inquérito soroepidemiológico sobre dengue em área urbana de Ponta Porã/MS, município de fronteira Brasil, Paraguai. Dourados, 2012. 41 f. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em saúde Pública. Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Rio de Janeiro.

Minas Gerais. Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais. 2019. [online] URL: http://www.saude.mg.gov.br/component/gmg/page/213-srs- diamantina-sesmg

Monteiro ESC, Coelho ME, Cunha IS, Cavalcante MAS, Carvalho FAA. 2009. Aspectos epidemiológicos e vetoriais da dengue na cidade de Teresina, Piauí – Brasil, 2002 a 2006. Revista Epidemiologia e Serviços de Saúde 18(4) 365-374. http://dx.doi.org/10.5123/S1679-49742009000400006

Nascimento DMB; Coelho RN, Rodrigues SG. 2003. Diagnóstico laboratorial da dengue no município de Belém- Pará: a atuação do laboratório central do Estado do Pará. Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical 36(1) 484-485. [online] URL: https://patua.iec.gov.br/bitstream/handle/iec

Oliveira RMAB, Araújo FMC, Cavalcanti LPG. 2018. Aspectos entomológicos e epidemiológicos das epidemias de dengue em Fortaleza, Ceará, 2001-2012. Revista

Epidemiologia e Serviços de Saúde 27(1) 1-5. http://dx.doi.org/10.5123/s1679-49742018000100014

Régis LN, Acioli RV, Silveira Júnior JC, Melo Santos MAV, Cunha MCS, Souza F, Batista CAV, Barbosa RMR, Oliveira CMF, Ayres CFJ, Monteiro AMV, Vieira Souza W. 2014. Characterization of the spatial and temporal dynamics of the dengue vector population established in urban areas of Fernando de Noronha, a Brazilian oceanic island. Acta Tropica (137) 80-87. http://doi.org/10.1016/j.actatropica.2014.04.010

Santos CH, Souza FY, Lima LR, Stival, MM. 2009. Perfil epidemiológico da dengue em Anápolis-GO, 2001-2007. Revista de Patologia Tropical 38(4) 249-259. [online] URL: https://repositorio.bc.ufg.br/xmlui/handle/ri/367

Soares da Silva J, Queiros SG, Aguiar JS, Viana JL, Maria Neta RAV, Silva MC, Pinheiro VCS, Polanczyk RA, Zilse CGA, Tadei WP. 2017. Molecular characterization of the gene profile of Bacillus thuringiensis Berliner isolated from Brazilian ecosystems and showing pathogenic activity against mosquito larvae of medical importance. Acta Tropica (176) 197-205.
https://doi.org/10.1016/j.actatropica.2017.08.006

Valadares AF, Filho JRC, Peluzio JM. 2013. Impacto da dengue em duas principais cidades do Estado do Tocantins: infestação e fator ambiental (2000 a 2010). Revista Epidemiologia e Serviços de Saúde 22(1) 59-66. [online] URL: http://dx.doi.org/10.5123/S1679-49742013000100006

Vasconcelos PFC, Travassos Rosa ES, Travassos Rosa JFS, Freitas RB, Degallier, N Rodrigues SG, Travassos Rosa APA. 1993. Epidemia de febre clássica de dengue causada pelo sorotipo 2 em Araguaína,Tocantins, Brasil. Revista Instituto Medicina Tropical de São Paulo 35(2) 141-148. [online] URL: http://dx.doi.org/10.1590/S0036- 46651993000200005

WHO – World Health Organization. 2019. Controle da Dengue. [Online] URL: http://www.who.int/denguecontrol/en/

Wilder Smith A, Byass P. 2016. The elusive global burden of dengue. Lancet Infect Dis 16(6) 629-631. [online] URL: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/26874620
Publicado
2019-07-21
Como Citar
PACHECO, Dhiego Gonçalves; MOURA, Lúcio do Carmo; CAMBRAIA, Rosana Passos. Aspectos epidemiológicos da dengue em Araçuaí, médio Vale do Jequitinhonha, Minas Gerais. Revista Espinhaço | UFVJM, [S.l.], p. 43-51, july 2019. ISSN 2317-0611. Disponível em: <http://revistaespinhaco.com/index.php/journal/article/view/246>. Acesso em: 06 may 2021. doi: https://doi.org/10.5281/zenodo.3345143.
Seção
Artigos