Alterações no regime de vazão e precipitação em trecho da Bacia do Rio Araçuaí, Minas Gerais: caminhamos para a escassez hídrica?

Autores

  • Pedro Henrique França Oliveira
  • Fabianna Resende Vieira
  • Cristiano Christofaro
  • Wellington Willian Rocha
  • Alexandre Christofaro Silva

DOI:

https://doi.org/10.5281/zenodo.5502194

Palavras-chave:

escassez hídrica, semiárido, mudanças climáticas

Resumo

A análise de séries históricas de precipitação e vazão permite a obtenção de informações sobre tendências de aumento ou diminuição ao longo do tempo dessas variáveis. A caracterização da relação entre essas variáveis pode contribuir para previsões de situações escassez dos recursos hídricos em bacias hidrográficas. O objetivo deste trabalho foi avaliar a ocorrência de tendências temporais de precipitação e vazão entre 1995 e 2011 no trecho alto da Bacia do Rio Araçuaí-MG, bem como caracterizar a relação entre os regimes de vazão e de precipitação. A relação entre a vazão e a chuva mensais foi caracterizada por meio de modelo linear. Testes de tendência temporal (Mann-Kendall) foram aplicados nas séries temporais de precipitação (P) e vazão (Q). Os resultados demonstraram uma forte correlação (r = 0,8) entre a vazão e a precipitação mensais, ambas apresentando tendência de redução ao longo do período avaliado. A variabilidade interanual e análise de tendência do coeficiente Q/P indica que a intensidade de redução da vazão apresenta-se maior do que a da precipitação, indicando que o uso e ocupação da terra também podem estar afetando a redução da vazão na região. Os resultados podem contribuir para o planejamento do uso dos recursos hídricos na região.

Referências

Agência Nacional de Águas (Brasil) (ANA). (2013). HidroWeb: sistemas de informações hidrológicas. Disponível em:

Brooks, K. N. et al. (2003). Hydrology and the Management of Watersheds. 3rd Edition ed. [s.l.] Wiley-Blackwell.

Chagas, Vinícius Bogo. (2019). Mudanças nos regimes de chuva e vazão no Brasil, de 1980 a 2015. Dissertação (mestrado): Universidade Federal de Santa Catarina, Centro Tecnológico, Programa de Pós Graduação em Engenharia Ambiental, Florianópolis.

Collischonn, W.; Tucci, C. E. M.; Clarke, R. T. (2001). Further evidence of changes in the hydrological regime of the River Paraguay: Part of a wider phenomenon of climate change? Journal of Hydrology, v. 245, n. 1–4, p. 218–238.

Costa, M. H.; Pires, G. F. (2010). Effects of Amazon and Central Brazil deforestation scenarios on the duration of the dry season in the arc of deforestation. International Journal of Climatology, v. 30, n. 13, p. 1970–1979.

Ferrier, R.; Jenkins, A. (2009). Handbook of Catchment Management. [s.l.] John Wiley & Sons.

Instituto Mineiro de Gestão das Águas (IGAM). (2008). Relatório de Monitoramento das Águas Superficiais da Bacia do Rio Araçuaí.

Instituto Nacional de Meteorologia (INMET). (2013). BDMEP - Banco de Dados Meteorológicos para Ensino e Pesquisa. s/d. . Disponível em: http:// www.inmet.gov.br/projetos/rede/pesquisa/

Kundzewicz, Z. W.; Robson, A J. (2004). Change detection in hydrological records - a review of the methodology. Hydrological Sciences Journal, v. 49, n. 1, p. 7–19.

Lanna, A. E. (2010). Plano Diretor de Recursos Hídricos da Bacia Hidrográfica do Rio Araçuaí – Relatório síntese. Belo Horizonte, Governo do Estado de Minas Gerais.

Li, D.; Long, D.; Zhao, J.; Lu, H.; Hong, Y. (2017). Observed changes in flow regimes in the Mekong River basin. Journal of Hydrology, v. 551, p. 217–232.

Limberger, L; Silva, M. E. S. (2012). Precipitação e vazão mensal na Amazônia. Revista Geonorte, edição especial 2, v. 1, nº 5, p. 719-728.

Londoño, Y. V. (2019). Análise do impacto das mudanças climáticas em índices climáticos associados com a variabilidade dos regimes de chuva e vazão na bacia do rio São Francisco. Dissertação: Mestrado em Tecnologia Ambiental e Recursos Hídricos, Departamento de Engenharia Civil e Ambiental, Universidade de Brasília, Brasília, DF, 133p.

Milliman, J. D.; Farnsworth, K. L.; Jones, P. D.; Xu, K. H.; Smith, L. C. (2008). Climatic and anthropogenic factors affecting river discharge to the global ocean, 1951-2000. Global and Planetary Change, v. 62, n. 3–4, p. 187–194.

Ranzini, M.; Lima, W. P. (2002) Comportamento hidrológico, balanço de nutrientes e perdas de solo em duas microbacias reflorestadas com Eucalyptus, no Vale do Paraíba, SP. Scientia Forestalis, n. 61, p. 144-159.

Santos, E. H. M.; Criebeler, N. P.; Oliveira, L. F. C. (2010). Relationship between land use and hydrological behavior in the “Ribeirão João Leite” watershed, Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, v. 14, n. 8, p. 826-834.

Schmidt, D. M.; Mattos, A. (2013). Dinâmica dos regimes de precipitação e vazão da bacia hidrográfica do Alto Piranhas-Açu / PB. Sociedade e Território, Natal, v. 25, nº 2, edição especial, p. 67-77.

Stevaux, J. C.; Martins, D. P.; Meurer, M. (2009). Changes in a large regulated tropical river: e Paraná River downstream from the Porto Primavera Dam, Brazil. Geomorphology, v. 113, n. 3–4, p. 230–238.

Tucci, C. E. M. (2005). Modelos hidrológicos. [s.l.] Editora da UFRGS.

Miranda, E. E. de; (Coord.). (2005). Brasil em Relevo. Campinas: Embrapa Monitoramento por Satélite, 2005. Disponível em: . Acesso em: 3 Set. 2015

Downloads

Publicado

11-10-2021

Edição

Seção

Artigos