Relação geográfica entre índice de vulnerabilidade social e a transmissão da dengue: estudo de caso de Praia Grande, São Paulo

Autores

  • Fábio Santana Silva
  • Matheus Pereira Libório
  • Paula Barreto Haddad

DOI:

https://doi.org/10.5281/zenodo.3952835

Palavras-chave:

Transmissão da dengue, dados socioeconômicos, sistema de notificação de doenças, índice de vulnerabilidade social

Resumo

A dengue é um problema de saúde pública mundial, sendo comumente relacionada a fatores socioeconômicos e ambientais. No Brasil, áreas urbanas sem saneamento, a alta densidade populacional (áreas de vulnerabilidade social) e o clima (tropical e subtropical) criam as condições ideais para a proliferação do vetor da dengue. O objetivo deste estudo foi analisar a relação espacial entre a transmissão da dengue e os índices de vulnerabilidade social do município de Praia Grande em 2010. Para tanto, foram analisados os casos autóctones confirmados por critérios laboratoriais e clínico-epidemiológicos (sistema de notificação de doenças), dados socioeconômicos do censo (IBGE) e o índice de vulnerabilidade social de São Paulo (Fundação SEADE). Conforme nossos resultados, ocorreu uma alta incidência de dengue, em 2010, em setores censitários com indicadores de média e alta vulnerabilidade social, alta densidade populacional e bons serviços de infraestrutura e saneamento. Em Praia Grande, a concentração de casos de dengue ocorre na população economicamente ativa (faixa etária de 20 a 39 anos) e população feminina. Nossos resultados apontam que casos de dengue na área de estudo ocorre independentemente da vulnerabilidade social, instigando novas pesquisas sobre as relações causais entre a dengue e o espaço geográfico.

Referências

Barcellos, C, Bastos, FI. 1996. Geoprocessamento, ambiente e saúde: uma união possível? Cadernos de Saúde Pública, 12, 389-397. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-311X1996000300012

Barcellos, CDC, Pustai, AK, Weber, MA, Brito, MRV. 2005. Identificação de locais com potencial de transmissão de dengue em Porto Alegre através de técnicas de geoprocessamento. Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical, 38(3): 246-250. http://dx.doi.org/10.1590/S0037-86822005000300008

Brasil, Ministério da Saúde. 2010. Sistema de Informação de Agravos de Notificação SINAN. [online] URL: http://portalsinan.saude.gov.br

Carvalho, CDS, Souza, Z. H. 2017. Reflexão acerca da incidência dos casos de Dengue, Chikungunya e Zica no Brasil. Anais Colóquio Estadual de Pesquisa Multidisciplinar (ISSN-2527-2500), 1(1).

Costa, AIPD, Natal, D. 1998. Distribuição espacial da dengue e determinantes socioeconômicos em localidade urbana no Sudeste do Brasil. Revista de Saúde Pública, 32(3), 232-236. http://dx.doi.org/10.1590/S0034-89101998000300005

Fundação Seade. 2014. IPVS – Índice Paulista de Vulnerabilidade Social. [online]. URL: http://indices-ilp.al.sp.gov.br/view/pdf/iprs/estado.pdf

Gonçalves Neto, VS, Rebêlo, JMM. 2004. Aspectos epidemiológicos do dengue no município de São Luis, Maranhão, Brasil, 1997-2002. Cadernos de Saúde Pública, 20(5): 1427-1431. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-311X2004000500039

[IBGEa] Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. 2010. Base de Informações do Censo Demográfico 2010: Resultados do universo por setor censitário. [online] URL: ftp://ftp.ibge.gov.br/Censos/Censo_Demografico_2010/Res ultados_do_Universo/Agregados_por_Setores_Censitarios

[IBGEb] Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. 2010.

Cadastro Nacional de Endereços para Fins Estatísticos - CNEFE. [online] URL: ftp://ftp.ibge.gov.br/Censos/Censo_Demografico_2010/Cadastro_Nacional_de_Enderecos_Fins_Estatisticos/SP

[IBGEc] Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Base de Faces de Logradouros. 2010. [online] URL: ftp://geoftp.ibge.gov.br/recortes_para_fins_estatisticos/malh a_de_setores_censitarios/censo_2010/base_de_faces_de_lo gradouros/SP

Klein, GH, Guidi Neto, P, Tezza, R. 2017. Big Data and social media: surveillance of networks as management tool. Saúde e Sociedade, 26(1), 208-217. http://dx.doi.org/10.1590/s0104-12902017164943

Marzochi, KBF. 1994. Dengue in Brazil-situation, transmission and control: a proposal for ecological control. Memórias do Instituto Oswaldo Cruz, 89(2), 235-245. http://dx.doi.org/10.1590/S0074-0276199400020002

Miranda, MD, Pinto, H, Júnior, J., Fagundes, RM, Fonsechi, DB, Calve, L, Pellegrino, GQ. 2009. A classificação climática de Koeppen para o estado de São Paulo. Bragantia, Campinas, 66(4): 711-720. http://dx.doi.org/10.1590/S0006-87052007000400022

Mondini, A, Chiaravalloti Neto, F, Sanches, GY, Lopes, JCC. 2005. Análise espacial da transmissão de dengue em cidade de porte médio do interior paulista. Revista de Saúde Pública, 39(1): 444-451. http://dx.doi.org/10.1590/S0034-89102005000300016

Mondini, A, Chiaravalloti Neto, F. 2007. Variáveis socioeconômicas e a transmissão de dengue. Revista de Saúde Pública, 41(1): 923-930. http://dx.doi.org/10.1590/S0034-89102007000600006

Pinto, LF, Freitas, MPSD, Figueiredo, AWSAD. 2018. Sistemas Nacionais de Informação e levantamentos populacionais: algumas contribuições do Ministério da Saúde e do IBGE para a análise das capitais brasileiras nos últimos 30 anos. Ciência & Saúde Coletiva, 23(1): 1859-1870. http://dx.doi.org/10.1590/1413-81232018236.05072018

[PNUD], Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento. 2015. Atlas do Desenvolvimento Humano nas Regiões Metropolitanas Brasileiras: Baixada Santista,

Campinas, Maceió e Vale do Paraíba. Brasília: PNUD, Ipea, FJP. [online] URL: http://www.atlasbrasil.org.br/2013/data/rawData/atlas_editorado_web_pt.pdf

PostGIS Project Steering Committee. 2015. PostGIS, Spatial and Geographic objects for PostgreSQL. [online]. URL: http://postgis.net/.

Quantum, GIS. 2014. Quantum GIS Geographic Information System. Open source geospatial foundation project. Resendes, APDC, Silveira, NAPRD, Sabroza, PC, Souza-

Santos, R. 2010. Determinação de áreas prioritárias para ações de controle da dengue. Revista de Saúde Pública, 44(1): 274-282. http://dx.doi.org/10.1590/S0034-89102010000200007

Ribeiro, AF, Marques, GR, Voltolini, JC, Condino, MLF. 2006. Associação entre incidência de dengue e variáveis climáticas. Revista de Saúde Pública, 40(1): 671-676. http://dx.doi.org/10.1590/S0034-89102006000500017

Silva, AM, Silva, RMD, Almeida, CAPD, Chaves, JJDS. 2015. Geostatistical modeling of dengue fever and temperature-rainfall variation in João Pessoa, Brazil. Sociedade & Natureza, 27(1): 157-169. http://dx.doi.org/10.1590/1982-451320150111

Silva, GM, Andrade, AMSS. 2014. Avaliação do perfil epidemiológico da dengue no município de Paripiranga, Bahia, Brasil. Scientia Plena, 10(9): 1-11.

Siqueira, IS, Queiroz, JCB, Amin, MM, Câmara, RKC. 2018. The Relationship of the Incidence of Dengue Cases with the Precipitation in the Urban Area of Belém-PA, 2007 to 2011 Through Multivariate Models of Time Series. Revista Brasileira de Meteorologia, 33(2): 380-389. http://dx.doi.org/10.1590/0102-7786332010

Skaba, DA, Carvalho, MS, Barcellos, C, Martins, PC, Terron, SL. 2004. Geoprocessamento dos dados da saúde: o tratamento dos endereços. Cadernos de Saúde Pública, 20(6): 1753-1756. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-311X2004000600037

Soares, DA, Andrade, SMD, Campos, JJBD. 2001. Epidemiologia e indicadores de saúde. Bases da saúde coletiva. Londrina: Ed. UEL, 183-210.

Teixeira, MDGLC, Barreto, ML, Costa, MDCN, Ferreira, LDA, Vasconcelos, P. 2003. Dinâmica de circulação do vírus da dengue em uma área metropolitana do Brasil. Epidemiologia e Serviços de Saúde, 12(2): 87–97. http://dx.doi.org/10.5123/S1679-49742003000200004

Teixeira, TRDA, Medronho, RDA. 2008. Indicadores sócio-demográficos e a epidemia de dengue em 2002 no Estado do Rio de Janeiro, Brasil. Cadernos de Saúde Pública, 24(9): 2160-2170. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-311X2008000900022

Vargas, WP, Kawa, H, Sabroza, PC, Soares, VB, Honório, NA, Almeida, AS. 2015. Association among house infestation index, dengue incidence, and sociodemographic indicators: surveillance using geographic information system. BMC public health, 15(1): 746. http://dx.doi.org/10.1186/s12889-015-2097-3

APA. 1999. Inquérito soro-epidemiológico na Ilha de São Luís durante epidemia de dengue no Maranhão. Rev Soc Bras Med Trop, 32(2): 171-179. http://dx.doi.org/10.1590/S0037-86821999000200009

Vasconcelos, PF, Lima, JWO, Rosa, A., Timbó, MJ, Rosa, ES, Lima, HR, Rodrigues, S.G. and Rosa, J.F., 1998. Epidemia de dengue em Fortaleza, Ceará: inquérito soro-epidemiológico aleatório. Revista de Saúde Pública, 32(5): pp.447-454. http://dx.doi.org/10.1590/S0034-89101998000500007

WHO, 2012. Global strategy for dengue prevention and control 2012–2020. WHO Library Cataloguing-in- Publication Data, Switzerland.

Downloads

Publicado

06-12-2018

Edição

Seção

Artigos