Riscos ambientais, percepção e adaptação em zonas costeiras: o caso de Ilha Comprida

  • Francine Modesto
  • Roberto Luiz do Carmo

Resumo

A proposta deste trabalho é verificar quais grupos populacionais estão expostos aos riscos ambientais do município de
Ilha Comprida, localizado no litoral Sul de São Paulo, considerando principalmente o perigo decorrente da erosão costeira que
ocorre na parte Norte da Ilha. A metodologia utilizada para relacionar riscos ambientais já existentes e/ou agravados pelas
mudanças ambientais e suas consequências para populações que vivem nesta área costeira foi, por um lado, a construção de um
arcabouço conceitual, através de levantamento e análise bibliográfica sobre a temática dos riscos ambientais, vulnerabilidade e
adaptação. Por outro lado, a utilização de métodos quanti-quali a partir dos dados dos Censos Demográficos (2000 e 2010) e da
realização de entrevistas qualitativas, através de questionários semiestruturados. As entrevistas com a população residente
levaram em consideração a localização da residência (considerando a distância em relação à linha da praia), percepção dos
problemas ambientais da Ilha, estratégias para lidar com esses perigos e a percepção sobre a responsabilidade do poder público
em casos de ocorrência de desastres. O estudo da percepção ambiental dos perigos e a vulnerabilidade sociodemográfica dessa
população são elementos chaves para a compreensão do envolvimento das pessoas com o lugar e as suas estratégias de
enfrentamento para lidar com os perigos ambientais do município. A pesquisa empírica mostrou que alguns moradores relacionam
as mudanças ambientais da ponta da Ilha (também) às mudanças climáticas, sendo que de forma geral todos conhecem a
interferência do Mar Pequeno no fenômeno de erosão da praia. Outros problemas ambientais foram apontados pelos moradores
como sendo mais graves do que a erosão, pois estes atingem toda a população do município, como por exemplo, a poluição do rio
Candapuí, a falta de saneamento e coleta de esgoto, atolamento de carros nas ruas não asfaltadas e problemas com a coleta do
lixo. As estratégias de enfrentamento dos problemas ambientais que os moradores vivenciam no Norte da Ilha são individuais e
não coletivas. Não ocorrem ações conjuntas, por exemplo, entre residentes e veranistas, já que o vínculo deles com o lugar é
diferente, o que dificulta uma solução mais ampla e efetiva por parte administração pública para enfrentar os problemas
ambientais do município.

Publicado
2017-03-09
Como Citar
MODESTO, Francine; CARMO, Roberto Luiz do. Riscos ambientais, percepção e adaptação em zonas costeiras: o caso de Ilha Comprida. Revista Espinhaço | UFVJM, [S.l.], p. 24-42, mar. 2017. ISSN 2317-0611. Disponível em: <http://revistaespinhaco.com/index.php/journal/article/view/49>. Acesso em: 23 feb. 2020.
Seção
Artigos