Integrando grade estatística e luzes noturnas em estudos populacionais: uma aplicação para apoiar o planejamento territorial na Região Metropolitana do Vale do Paraíba e Litoral Norte

  • Tathiane Mayumi Anazawa
  • Ana Carolina de Faria Santos
  • Antonio Miguel Vieira Monteiro
  • Silvana Amaral

Resumo

O trabalho tem como objetivo identificar a presença de população e infraestruturas em áreas protegidas legalmente definidas, na Região Metropolitana do Vale do Paraíba e Litoral Norte (RMVPLN). O estudo foi apoiado no uso de novas bases de dados espaciais estatísticos provenientes do Censo Demográfico, e dados de sensoriamento remoto de luzes noturnas através de uma representação auxiliar para caracterizar o espaço metropolitano e seus diferentes territórios. A análise foi realizada a partir da construção de Tipologias de Ocupação, baseadas na integração de informações de população, luzes noturnas e áreas protegidas, cujos resultados possibilitaram um diagnóstico preliminar sobre potenciais conflitos entre necessidades locais, como foi o caso analisado no Parque Estadual de Campos do Jordão, local escolhido para a verificação remota das Tipologias. Estas áreas merecem detalhamento e verificação no âmbito do planejamento metropolitano, para que sejam consideradas a heterogeneidade regional e as especificidades dos diferentes territórios que formam a RMVPLN.

Referências

ANAZAWA, T. M. (2012). Vulnerabilidade e território no litoral norte de São Paulo: indicadores, perfis de ativos e trajetórias. 2012. Dissertação, Mestrado em Sensoriamento Remoto, Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), São José dos Campos.

ARRUDA, R. (1999) “Populações Tradicionais” e a Proteção dos Recursos Naturais em Unidades de Conservação. Ambiente & Sociedade 5: 79-92. http://dx.doi.org/10.1590/S1414-753X1999000200007.

BEAUCHAMP, P., ADAMOWSKI, J. (2013). An Integrated Framework for the Development of Green Infrastructure: A Literature Review. European Journal of Sustainable Development, 2 (3): 1-24. http://dx.doi.org/10.14207/ejsd.2013.v2n3p1.

BRASIL. Lei nº 9.985, de 18 de julho de 2000. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9985.htm. Acesso em: 27 mai. 2020.

BUENO, M. C. D. (2014). Grade estatística: uma abordagem para ampliar o potencial analítico de dados censitários. Tese, Doutorado em Demografia, Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Estadual de Campinas, Campinas.

CARMO, R. L., ANAZAWA, T. M. (2017). Hidromegalópole São Paulo-Rio de Janeiro: escassez hídrica, sobreposição de espacialidades e conflitos. Boletim Regional, Urbano e Ambiental 17: 61-68.

CENTRE DE RESSOURCES - Trame verte et bleue. s/d. Définitions de la Trame verte et bleue. Disponível em: http://www.trameverteetbleue.fr/presentation-tvb/qu-est-ce-que-trame-verte-bleue/definitions-trame-verte-bleue?language%3Den=fr. Acesso em: 22 mai. 2019.

D’ANTONA, A. O., BUENO, M. C. D., DAGNINO, R. S. (2013). Estimativa da população em unidades de conservação na Amazônia Legal brasileira – uma aplicação de grades regulares a partir da Contagem 2007. R. bras. Est. Pop. 30 (2): 401-428. https://doi.org/10.1590/S0102-30982013000200004

DEVIDE, A. C. P., CASTRO, C. M., RIBEIRO, R. L. D., ABBOUD, A. C. S., PEREIRA, M. G., RUMJANEK, N. G. (2014). História Ambiental do Vale do Paraíba Paulista, Brasil. Revista Biociências - Universidade de Taubaté 20 (1): 12-29.
ELVIDGE, C.D., BAUGH, K.E., ZHIZHIN, M., HSU, F.C. (2013). Why VIIRS data are superior to DMSP for mapping nighttime lights. Proceedings of the Asia-Pacific Advanced Network 35: 62-69. http://dx.doi.org/10.7125/APAN.35.7.

EMPLASA. (2012). Região Metropolitana do Vale do Paraíba e Litoral Norte. Construindo a Governança Metropolitana. Disponível em: https://emplasa.sp.gov.br/RMVPLN. Acesso em: 16 out. 2020.

FILHO, U. R. P. (2019). O Plano Diretor Urbano Integrado (PDUI) da Região Metropolitana do Vale do Paraíba e Litoral Norte (RMVPLN), que caminhos trilhará? Diálogos Socioambientais na Macrometrópole Paulista 4 (4): 8-10.

GOMES, C. (2019). O PDUI do Vale do Paraíba e Litoral Norte: expectativas, ações e incertezas. Diálogos Socioambientais na Macrometrópole Paulista 4 (4): 11-12.

HARDIN, G. (1968). The tragedy of the commons. Science 162 (3859): 1243-1248.

IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. 2016. Grade Estatística. Disponível em:. Acesso em 04 abr. 2020.

ROBINSON, J. (2006). Ordinary cities: Between Modernity and Development. Routledge, London.

JESUS, N. B., GOMES, L. J. 2012. Conflitos socioambientais no extrativismo da aroeira (Schinus terebebinthifolius Raddi), Baixo São Francisco - Sergipe/Alagoas. Ambiente e Sociedade 15 (3): 55-73. https://doi.org/10.1590/S1414-753X2012000300005.

KURKDJIAN, M. L. et al. (1991). PROJETO MAVALE: Técnicas de sensoriamento remoto aplicadas ao macrozoneamento do vale do Paraíba e litoral Norte do Estado de São Paulo. São José dos Campos: INPE. Disponível em: http://mtc-m12.sid.inpe.br/rep/sid.inpe.br/iris@1912/2005/07.19.22.03.21?languagebutton=pt-BR. Acesso em: 24 mai. 2020.

LEFEBVRE, H. (2000). A produção do espaço. Trad. Doralice Barros Pereira e Sérgio Martins. 4ª edição. Éditions Anthropos, Paris.

NOAA/NGDC - NATIONAL OCEANIC AND ATMOSPHERIC ADMINISTRATION’S NATIONAL GEOSCIENCE DATA CENTER. (2018). Version 1 VIIRS day/night band nighttime lights. Disponível em: https://ngdc.noaa.gov/eog/viirs/download_dnb_composites.html. Acesso em: 19 fev. 2018.

NEGREIROS, R, SANTOS, S. M. M., MIRANDA, Z. A. I. (2015). Nova escala de planejamento, investimento e governança na macrometrópole paulista. Revista Iberoamericana de Urbanismo 10 (2): 29-49.
OLIVEIRA, A. M., COSTA, H. S. M. (2018). A Trama Verde e Azul no planejamento territorial: aproximações e distanciamentos. Rev. Bras. Estud. Urbanos Reg. 20 (3): 538-555. https://doi.org/10.22296/2317-1529.2018v20n3p538

ONU-HABITAT. (2015). Diretrizes Internacionais para Planejamento Urbano e Territorial. Nairóbi: ONU-Habitat.

ONU_PLANEJAMENTO_URBANO_E_TERRITORIAL_Portuguese.pdf. Acesso em: 17 dez. 2020.

RESCHILIAN, P. R. (2005). O Vale do Paraíba no contexto da urbanização brasileira e a questão do planejamento regional. Rev. ciênc. Hum. 11 (1): 25-32.

SALVATI, L., GUANDALINI, A., CARLUCCI, M., CHELLI, F.M. (2017). An empirical assessment of human development through remote sensing: evidences from Italy. Ecological Indicators 78: 167–172. https://doi.org/10.1016/j.ecolind.2017.03.014.

SANTOS, A. C. F. (2019). Potencial e limitações dos dados de luzes noturnas em apoio ao planejamento territorial: um estudo para a região metropolitana do Vale do Paraíba e Litoral Norte, São Paulo, Brasil. Dissertação, Mestrado em Sensoriamento Remoto, Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), São José dos Campos.

SANTOS, ACF (2014). Percepção das Comunidades do entorno do Parque Estadual da Serra do Mar (Núcleo Santa Virgínia e Núcleo Picinguaba) acerca da extração do fruto de Euterpe edulis Martius. Trabalho de Conclusão de Curso (Ciências Biológicas), Universidade de Taubaté (UNITAU), Taubaté.

SEMA - SECRETARIA DE ESTADO DO MEIO AMBIENTE. (2015). Plano de Manejo Parque Estadual de Campos do Jordão (Resumo Executivo). Disponível em: http://arquivos.ambiente.sp.gov.br/fundacaoflorestal/2017/02/Resumo-Executivo.pdf. Acesso em: 20 jun. 2020.

SHI, K., YU, B., HUANG, Y., HU, Y., YIN, B., CHEN, Z., CHEN, L., WU, J. (2014). Evaluating the ability of NPP-VIIRS nighttime light data to estimate the gross domestic product and the electric power consumption of China at multiple scales: a comparison with DMSP-OLS data. Remote Sensing 6 (2): 1705-1724. https://doi.org/10.3390/rs6021705.

TerraView. (s/d). Plugin Preenchimento de Células. Disponível em: http://www.dpi.inpe.br/Miguel/CST310/Manual_Usuario_PluginCelula_2010.pdf. Acesso em: 17 dez. 2020.

UFMG. (2014). Plano Metropolitano – Macrozoneamento RMBH. Produto 3: Avaliação dos marcos normativos e projetos estruturantes federais, estaduais e municipais referentes ao ordenamento territorial da RMBH. Belo Horizonte.

WANG, X., RAFA, M., MOYER, J. D., LI, J., SCHEER, J., SUTTON, P. (2019). Estimation and mapping of sub-national GDP in Uganda using NPP-VIIRS imagery. Remote Sensing 11 (2): 163. https://doi.org/10.3390/rs11020163.

WU, R., YANG, D., DONG, J., ZHANG, L., XIA, F. (2018). Regional inequality in China based on NPP-VIIRS night-time light imagery. Remote Sensing 10 (2): 240. https://doi.org/10.3390/rs1002024.

ZHANG, X., WU, J., PENG, J., CAO, Q. (2017). The uncertainty of nighttime light data in estimating carbon dioxide emissions in China: a comparison between DMSP-

OLS e NPP-VIIRS. Remote Sensing 9 (8): 797. https://doi.org/10.3390/rs9080797.
Publicado
2020-12-31
Como Citar
ANAZAWA, Tathiane Mayumi et al. Integrando grade estatística e luzes noturnas em estudos populacionais: uma aplicação para apoiar o planejamento territorial na Região Metropolitana do Vale do Paraíba e Litoral Norte. Revista Espinhaço | UFVJM, [S.l.], p. 98-110, dec. 2020. ISSN 2317-0611. Disponível em: <http://revistaespinhaco.com/index.php/journal/article/view/317>. Acesso em: 02 aug. 2021. doi: https://doi.org/10.5281/zenodo.4434367.
Seção
Artigos