Diagnóstico multitemporal do uso e cobertura da terra e qualidade das águas na bacia do rio Jequitinhonha em Minas Gerais como subsídio à gestão dos recursos hídricos superficiais

  • Hélio de Magalhães Júnior
  • Frederico Azevedo Lopes
  • Diego Rodrigues Macedo

Resumo

 


A bacia hidrográfica do rio Jequitinhonha tem sido afetada por alterações na cobertura e no uso da terra e, consequentemente, na qualidade dos recursos hídricos locais desde o ciclo de exploração minerária de ouro e diamante, especialmente durante o século XVIII. Apesar da baixa disponibilidade hídrica e pressões sobre os recursos hídricos locais, os instrumentos de gestão dos recursos hídricos, tais como a cobrança e outorga qualitativa ainda não foram efetivados na bacia. Neste contexto, este trabalho busca relacionar a evolução do uso e ocupação da terra na bacia com os parâmetros de qualidade da água que compõem o Índice de Qualidade da Água (IQA), identificando as principais fontes de pressão sobre os recursos hídricos. A classificação do uso e cobertura da terra foi realizada por meio de dados disponibilizados pelo Projeto MapBiomas no ano 2000 e 2014, enquanto os dados de qualidade das águas foram obtidos junto ao programa de monitoramento realizado pelo Instituto Mineiro de Gestão das Águas (IGAM). A análise dos dados foi conduzida por meio de análise estatística descritiva e construção de modelos de regressão múltipla. Os resultados evidenciaram que as atividades de agricultura e pecuária foram as que mais influenciaram a qualidade das águas na bacia no período estudado (2000 e 2014), especialmente sobre os valores de Nitrato, Sólidos totais e pH. Além disto, os resultados no período seco foram mais significativos em relação ao período chuvoso, provavelmente devido a maior estabilidade ambiental na seca. Deste modo, a deterioração da qualidade ambiental na bacia, principalmente, devido ao aumento de áreas com atividades antrópicas em detrimento das áreas naturais tem comprometido a qualidade de suas águas.

Referências

AFED ULLAH K, JIANG J, WANG, P. 2018. Land use impacts on surface water quality by statistical approaches. Global Journal of Environmental Science and Management 4 (2) 231-250.

AGÊNCIA NACIONAL DE ÁGUAS – ANA. 2015. Conjuntura dos recursos hídricos: informe 2015. Agência Nacional de Águas. Brasília, 88 p.

ASSIS E, LOPES FWA. 2017. Avaliação da qualidade das águas na bacia do Ribeirão das Araras, Córrego Danta (MG). Caminhos de Geografia, 18(63), 133-152.

BRIERLEY GJ. 2010. Landscape memory: the imprint of the past on contemporary landscape forms and processes. Area, 42(1), 76- 85.

BU H, MENG W, ZHANG Y, WAN J. 2014. Relationships between land use patterns and water quality in the Taizi River basin, China. Ecological Indicators 41(1), 187-197.

BUCK O, NIYOGI DK, TOWNSEND CR. 2004. Scale-
dependence of land use effects on water quality of streams in agricultural catchments. Environmental Pollution, 130(2) 287-299.

CALLISTO M, MORENO P, MACEDO DR. 2019.
Biomonitoramento e pressões da urbanização: Uma abordagem integrada entre Ecologia e Geografia na bacia do rio das Velhas. Revista Espinhaço 8(1), 2-12.

CARNEIRO PRF, CARDOSO AL, ZAMPRONIO GB, MARTINGIL MC. 2010. A Gestão Integrada de Recursos Hídricos e do Uso do Solo em bacias urbano-metropolitanas: o controle de inundações na bacia dos rios Iguaçu/Sarapuí, na Baixada Fluminense. Ambiente & Sociedade 8(1), 29-49.

COSKUN GH, ALPARSLAN E. 2009. Environmental modelling of Omerli catchment area in Istanbul, Turkey using remote sensing and GIS techniques. Environmental Monitoring & Assessment 153 Issue 1-4, 323-332.

FERREIRA VO. 2007. Paisagem, recursos hídricos e desenvolvimento econômico na bacia do Rio Jequitinhonha, em Minas Gerais. Tese (Doutorado em Geografia) – Instituto de Geociências, Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Belo Horizonte, 291.

GAMA ENGENHARIA DE RECURSOS HÍDRICOS. 2010.
Plano diretor de recursos hídricos da bacia hidrográfica do rio Araçuaí – Relatório Síntese. Gama Engenharia. Novembro, 2010. [online] URL:http://portalinfohidro.igam.mg.gov.br/downloads/publicac oes-tecnicas/bacia-hidrografica-do-rio-jequitinhonha/8200- upgrhjq2rio-aracuai.

GAMA ENGENHARIA DE RECURSOS HÍDRICOS. 2013.
Relatório Diagnóstico dos Afluentes do médio e baixo Jequitinhonha (JQ3) RT2. Gama Engenharia. Setembro, 2013. [online] URL: http://portalinfohidro.igam.mg.gov.br/downloads/publicacoes- tecnicas/bacia-hidrografica-do-rio- jequitinhonha/upgrhjq3medio-e-baixo-rio-jequitinhonha/8867- diagnostico.

GYAWALI S, TECHATO K, MONPRAPUSSORN S, YUANGYAI, C. 2013. Integrating Land use and Water quality for Environmental based land use planning for U-tapao River Basin, Thailand. Procedia – Social and Behavioral Sciences 91(1), 556 – 563.

GOTELLI NJ, ELLISON AM. 2011. Princípios de estatística em ecologia. 1ª Edição, Artmed Editora, Porto Alegre.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE. 1997. Diagnóstico ambiental da bacia do rio Jequitinhonha. Diretrizes gerais para a ordenação territorial. Ministério do Planejamento e Orçamento. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. 1a Divisão de Geociências do Nordeste, Salvador.

INSTITUTO MINEIRO DE GESTÃO DAS ÁGUAS - IGAM. 2016. Boletim Anual da Qualidade das Águas na bacia hidrográfica do Alto rio Jequitinhonha. Gerência de Monitoramento de Qualidade das Águas. Belo Horizonte, 5.

INSTITUTO MINEIRO DE GESTÃO DAS ÁGUAS - IGAM. 2010. Monitoramento da qualidade das águas superficiais na bacia do rio Jequitinhonha em 2009. Instituto Mineiro de Gestão das Águas. Belo Horizonte, 154.

INSTITUTO MINEIRO DE GESTÃO DAS ÁGUAS - IGAM. 2019. Portal InfoHidro. Bacia do rio Jequitinhonha. IGAM, 2019. [online] URL: http://portalinfohidro.igam.mg.gov.br/unidades-de- planejamento/bacia-do-rio-jequitinhonha.


INSTITUTO MINEIRO DE GESTÃO DAS ÁGUAS - IGAM. 2005. Sistema de cálculo da qualidade da água (SCQA): estabelecimento das equações do Índice de Qualidade das Águas (IQA). Relatório 1. 2005. [online] URL: http://aguas.igam.mg.gov.br/aguas/downloads/SCQA_final.pdf.

INTERGOVERNMENTAL PANEL ON CLIMATE CHANGE - IPCC. 2014. Freshwater Resources. In: Climate Change 2014 – Impacts, Adaptation, and Vulnerability: Part A: Global and Sectoral Aspects: Working Group II Contribution to the IPCC Fifth Assessment Report. Cambridge University Press, 229-270.

JULIAN JP, BEURS KMD, OWSLEY B, DAVIES-COLLEY RJ, AUSSEIL AGE. 2017. River water quality changes in New Zealand over 26 years: response to land use intensity. Hydrology and Earth System Sciences 21(2), 1149-1171.

LEE SW, HWANG SJ, LEE SB, HWANG HS, SUNG HC. 2009.
Landscape ecological approach to the relationships of land use patterns in watersheds to water quality characteristics. Landscape and Urban Planning 92(2), 80-89.

LOPES FWA., MAGALHÃES JR AP, PEREIRA JA. 2008.
Avaliação da qualidade das águas e condições de balneabilidade na bacia do Ribeirão de Carrancas-MG. Revista Brasileira de Recursos Hídricos 13 (4) 111-119.

LOPES FWA, MAGALHÃES JR AP. 2010. Influência das condições naturais de pH sobre o Índice de Qualidade das Águas (IQA) na bacia do Ribeirão de Carrancas. Revista Geografias 6(2), 134-147.

MAILLARD P, SANTOS NAP. 2008. Spatial-statistical approach for modelling the effect of non-point source pollution on different water quality parameters in the Velhas river watershed - Brazil. Journal of Environmental Management 86(1) 158-170.

MAPBIOMAS. 2018. Coleção 2.3 da Série Anual de Mapas de Cobertura e Uso de Solo do Brasil. Projeto MapBiomas. 2018. [online] URL: http://mapbiomas.org.

MENEZES JPC, BITTENCOURT RP, FARIAS MDS, BELLO I. P, FIA R, OLIVEIRA LFCD. 2016. Relação entre padrões de uso e ocupação do solo e qualidade da água em uma bacia hidrográfica urbana. Revista de Engenharia Sanitária e Ambiental 21 (3), 519- 534.

MINAS GERAIS. 2008. Deliberação Normativa Conjunta COPAM/CERH-MG nº 01, de 05 de maio de 2008. Dispõe sobre a classificação dos corpos de água e diretrizes ambientais para o seu enquadramento, bem como estabelece as condições e padrões de lançamento de efluentes, e dá outras providências. Publicada no Diário Executivo de Minas Gerais, de 13/05/2008.

PIAZI J, LOPES FWA, AZEVEDO UR. 2018. Correlação entre qualidade das águas e outorgas superficiais no trecho alto da bacia do médio rio das Velhas, Minas Gerais, Brasil/Water quality and granting of permits for water use in the middle course of Velhas river basin, Minas Gerais, Brazil. Caderno de Geografia 28 (55), 828-844.

RIBEIRO EM, GALIZONI FM, SILVESTRE LH, CALIXTO JS ASSIS TP, AYRES EB. 2007. Agricultura familiar e programas de desenvolvimento rural no Alto Jequitinhonha. Revista Economia Sociologia Rural 45(4), 1075-1102.

RESENDE AV. 2002. Agricultura e qualidade da água: contaminação da água por nitrato. Planaltina: Embrapa Cerrados - Documentos (INFOTECA-E), 29.

SANTOS JP, MARTIN I, CALLISTO M, MACEDO DR. 2017.
Relações entre qualidade da água e uso e cobertura do solo em múltiplas escalas espaciais na bacia do Rio Pandeiros, Minas Gerais. Revista Espinhaço, 36-46.

SHRESTHA S, KAZAMA F. 2007. Assessment of surface water quality using multivariate statistical techniques: A case study of the Fuji river basin, Japan. Environmental Modelling & Software: Environmental Risk and Emergency Management, 22, Issue 4, 464-475.

SLIVA L, WILLIAMS DD. 2001. Buffer zone versus whole catchment approaches to studying land use impact on river water quality. Water research 35(14), 3462-3472.

TUCCI CEM. 2008. Águas urbanas. Estudos Avançados 22(63), 1-16.

VANZELA L, HERNANDEZ FBT, FRANC RAM. 2010.
Influência do uso e ocupação do solo nos recursos hídricos do Córrego Três Barras, Marinópolis. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental-Agriambi 14 (1).

VON SPERLING M. 2014. Introdução à qualidade das águas e ao tratamento de esgotos. Princípios do tratamento biológico de águas residuárias. 4a edição. Belo Horizonte: Editora UFMG, 472.
Publicado
2019-12-19
Como Citar
JÚNIOR, Hélio de Magalhães; LOPES, Frederico Azevedo; MACEDO, Diego Rodrigues. Diagnóstico multitemporal do uso e cobertura da terra e qualidade das águas na bacia do rio Jequitinhonha em Minas Gerais como subsídio à gestão dos recursos hídricos superficiais. Revista Espinhaço | UFVJM, [S.l.], p. 47-57, dec. 2019. ISSN 2317-0611. Disponível em: <http://revistaespinhaco.com/index.php/journal/article/view/274>. Acesso em: 22 sep. 2020. doi: https://doi.org/10.5281/zenodo.3583328.
Seção
Artigos