Os processos geológicos por trás dos sítios arqueológicos da Serra do Espinhaço Meridional

  • Matheus Kuchenbecker

Resumo

 


A Serra do Espinhaço Meridional, importante marco fisiográfico do território mineiro, abriga uma vasta rede de sítios arqueológicos, cujos registros têm sido cruciais para as investigações a respeito dos primeiros americanos. Em sua maioria, estes sítios ocorrem em abrigos rochosos naturais, como lapas, cristas e grutas, desenvolvidos em rochas metassedimentares pré-cambrianas. Este trabalho tem como objetivo apresentar, de forma didática, os principais processos geológicos envolvidos na gênese destes abrigos. Os processos de sedimentação, diagênese, metamorfismo e deformação influenciam a composição e estruturação das rochas, e estas características, por sua vez, exercem forte controle nos processos de intemperismo e erosão que, em última instância, dão origem às formas de relevo propícias à ocupação humana. Fica demonstrada, assim, uma íntima relação entre o inorgânico e o orgânico, entre o geológico e o antropológico, no tempo e no espaço, num excelente exemplo de interação entre os vários e complexos elementos do Sistema-Terra.

Publicado
2019-12-19
Como Citar
KUCHENBECKER, Matheus. Os processos geológicos por trás dos sítios arqueológicos da Serra do Espinhaço Meridional. Revista Espinhaço | UFVJM, [S.l.], p. 1-12, dec. 2019. ISSN 2317-0611. Disponível em: <http://revistaespinhaco.com/index.php/journal/article/view/270>. Acesso em: 31 mar. 2020.
Seção
Artigos