Relação geográfica entre índice de vulnerabilidade social e a transmissão da dengue: estudo de caso de Praia Grande, São Paulo

  • Fábio Santana Silva
  • Matheus Pereira Libório
  • Paula B arreto Haddad

Resumo

A dengue é um problema de saúde pública mundial, sendo comumente relacionada a fatores socioeconômicos e ambientais. No Brasil, áreas urbanas sem saneamento, a alta densidade populacional (áreas de vulnerabilidade social) e o clima (tropical e subtropical) criam as condições ideais para a proliferação do vetor da dengue. O objetivo deste estudo foi analisar a relação espacial entre a transmissão da dengue e os índices de vulnerabilidade social do município de Praia Grande em 2010. Para tanto, foram analisados os casos autóctones confirmados por critérios laboratoriais e clínico-epidemiológicos (sistema de notificação de doenças), dados socioeconômicos do censo (IBGE) e o índice de vulnerabilidade social de São Paulo (Fundação SEADE). Conforme nossos resultados, ocorreu uma alta incidência de dengue, em 2010, em setores censitários com indicadores de média e alta vulnerabilidade social, alta densidade populacional e bons serviços de infraestrutura e saneamento. Em Praia Grande, a concentração de casos de dengue ocorre na população economicamente ativa (faixa etária de 20 a 39 anos) e população feminina. Nossos resultados apontam que casos de dengue na área de estudo ocorre independentemente da vulnerabilidade social, instigando novas pesquisas sobre as relações causais entre a dengue e o espaço geográfico.

Publicado
2019-02-19
Como Citar
SILVA, Fábio Santana; LIBÓRIO, Matheus Pereira; HADDAD, Paula B arreto. Relação geográfica entre índice de vulnerabilidade social e a transmissão da dengue: estudo de caso de Praia Grande, São Paulo. Revista Espinhaço | UFVJM, [S.l.], p. 39-48, feb. 2019. ISSN 2317-0611. Disponível em: <http://revistaespinhaco.com/index.php/journal/article/view/222>. Acesso em: 24 mar. 2019.
Seção
Artigos