Principais fatores condicionantes da formação e implicações para uso de Cambissolos em São Desidério, Oeste da Bahia

  • Arianne de Souza Barbosa
  • Gisele Barbosa dos Santos
  • Edimar Souza Dias
  • Ervson da Silva Siqueira
  • Juliano Ramos da Silva
  • Vitória Dourado Barbosa

Resumo

Os cambissolos da região Oeste da Bahia são menos estudados do ponto de vista de sua gênese e manejo. Esta porção do estado da Bahia possui em sua maior extensão latossolos, que são mais estudados e conhecidos do que os cambisolos da região, tendo em vista tipo de agricultura aplicada nestes dois tipos de solos. É praticada, de forma geral, a agricultura familiar em áreas de cambissolos e o agronegócio associado aos latossolos. Assim, foi objetivo deste estudo caracterizar alguns atributos morfológicos, químicos e físicos em um perfil de cambissolo no município de São Desidério, a fim de fornecer subsídios para melhor entender a influência do relevo em sua gênese, além de informações sobre seu aproveitamento. Para tanto, baseado em mapeamentos regionais prévios, foi escolhido um perfil de solo para descrição morfológica, tendo sido suas amostras coletadas e analisadas em laboratório onde foram realizadas análise textural, densidade de partículas, teor de matéria orgânica e pH. Os fendilhamentos evidentes nos horizontes superficial e intermediário demonstram a importância da textura argilosa combinada à sazonalidade local, esta última responsável pela contração das argilas no período de estiagem. Tais características indicam alta fertilidade para este solo. No entanto, a presença de fendilhamentos pode influenciar negativamente a prática agrícola, além de potencializar processos erosivos sob chuvas torrentes.

Referências

Bahia. 2010. Zoneamento ecológico-econômico Preliminar REV.01. 3º Relatório Básico Volume VII. Avaliação das Potencialidades e Limitações.

Batistella M, Valladares GS, Bolfe EL. 2008. Monitoramento da expansão agropecuária como subsídios à gestão ambiental estratégica na região Oeste da Bahia, Brasil. In: Batistella M, Moran EF. (Org.) Geoinformação e monitoramento ambiental na América Latina. São Paulo: Editora Senac São Paulo, 163-196.

Bicalho-Bittar IM. 2011. Um estudo da densidade do solo em diferentes sistemas de uso e manejo. Enciclopédia biosfera 7(12): 1-9. [online] URL: http://www.conhecer.org.br/enciclop/2011a/agrarias/um%20estudo%20da%20densidade.pdf

Davies BE. 1974. Loss-on-ignition as an estimate of soil organic matter. Soil Science Society of America Journal 38: 347-353.
http://dx.doi.org/10.2136/sssaj1974.0361599500380001004 6x

Donagema GK, Campos DVB, Calderano SB, Teixeira WG, Viana JHM. 2011. Manual de métodos de análise de solos. Rio de Janeiro: Embrapa Solos.

Egydio-Silva M. 1987. O sistema de dobramentos Rio Preto e suas relações com o Cráton São Francisco. São Paulo: USP.

EMBRAPA - Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária. 2009. Sistema brasileiro de classificação de solos. EMBRAPA-SPI, Rio de Janeiro, Brasil.

Ernesto Sobrinho, F. 1980. Caracterização, gênese e interpretação para uso de solos derivados de calcário da região da Chapada do Apodi, Rio Grande do Norte. Dissertação de Mestrado.Viçosa: UFV.

Fontana A, Teixeira WG, Balieiro FC, Moura TPA, Menezes AR, Ignez C. 2016. Características e atributos de Latossolos sob diferentes usos na região Oeste do Estado da Bahia. Pesquisa Agropecuária Brasileira 51(9): 1457-1465. http://dx.doi.org/10.1590/S0100-204X2016000900044

Fontana A, Oliveira AP. 2015. Levantamento e caracterização de solos frágeis no município de Luís Eduardo Magalhães (BA). In: Castro SS, Hernani LC. (Orgs.). Solos Frágeis: caracterização, manejo e sustentabilidade. Brasília: Embrapa, 73-88. [online] URL: https://www.embrapa.br/solos/busca-de-publicacoes/-/publicacao/1039832/levantamento-e-caracterizacao-de- solos-frageis-no-municipio-de-luis-eduardo-magalhaes-ba

Freitas PL, Polidoro JC, Santos HG, Prado RB, Calderano SB, Manzatto CV, Dowich I, Bernardi ACC. 2014. Identificação e caracterização físico-química de Latossolos de textura arenosa e média da Região Oeste da Bahia. Cadernos de Geociências (UFBA) 11 (1-2): 83-93. [online] URL:
https://portalseer.ufba.br/index.php/cadgeoc/article/view/11 795/8956

Gurgel RS, Júnior OAC, Gomes RAT, Guimarães RF, Câmara JFA, Sobrinho DA, Martins ES, Braga ARS. 2011. Identificação das áreas vulneráveis à erosão a partir do emprego da EUPS - equação universal de perdas de solos no município de Riachão das Neves - BA. Geografia.
Ensino & Pesquisa (UFSM) 15: 93-112. [online] URL: https://periodicos.ufsm.br/geografia/article/viewFile/7348/4 387

Leopoldo, NCM, Iwata BF. 2016. Uso agrícola do Oeste do estado da Bahia e a caracterização pedológica da região. In: III Reunião Nordestina de Ciência do solo, Aracajú - SE.

Mondardo ML. 2010. Da migração sulista ao novo arranjo territorial no Oeste Baiano: "territorialização" do capital no campo e paradoxos na configuração da cidade do agronegócio. Campo – Território 5(10): 259-287. [online] URL:
http://www.seer.ufu.br/index.php/campoterritorio/article/vie wFile/11987/8252

Moreira MC, Silva DD. 2010. Atlas hidrológico da bacia hidrográfica do rio Grande. Barreiras: Gazeta Santa Cruz.

Nobrega MT, Cunha JE. 2011. A paisagem, os solos e a suscetibilidade à erosão. Espaço Plural 12 (25): 63-72. [online] URL:
http://e- revista.uniOeste.br/index.php/espacoplural/article/view/726 7/5336

Pimentel ML. 2011. Mudanças de uso da terra e expansão da agricultura no Oeste da Bahia. Rio de Janeiro: Embrapa Solos. [online] URL: http://www.cnps.embrapa.br/publicacoes

Prado H. 2013. Pedologia fácil: aplicações em solos
tropicais. Piracicaba: Edição do autor.

Reis SLS, Vale RMC, Lobão JSB. 2009. Identificação de áreas degradadas no Oeste da Bahia através de técnicas de geoprocessamento. In: XII Encontro de Geógrafos da América Latina, Montevideo. Caminando en una América Latina en transformación. Montevideo: Easy Planners.

Ronquim CC. Conceitos de fertilidade do solo e manejo adequado para as regiões tropicais. 2010. Boletim de Pesquisa e Desenvolvimento. Embrapa Monitoramento por Satélite, Campinas, Brasil.

Schiavo JA, Pereira MG, Miranda LPM, Dias Neto AH, Fontana A. 2010. Caracterização e classificação de solos desenvolvidos de arenitos da formação Aquidauana-MS. Revista Brasileira de Ciência do Solo 34(3): 881-889. http://dx.doi.org/10.1590/S0100-06832010000300029

Sampaio M. 2012. Oeste da Bahia capitalismo, agricultura e expropriação de bens de interesse coletivo. In: XXI Encontro Nacional de Geografia Agrária - territórios em disputa: os desafios da Geografia Agrária nas contradições do desenvolvimento brasileiro, 21, 2012, Uberlândia: Universidade Federal de Uberlândia.

Santos GB, Castro PTA. 2016. Caracterização da rede de drenagem e do sistema lacustre da Bacia do Rio Grande: Oeste da Bahia - Região do médio São Francisco. Revista Brasileira de Geomorfologia 17 (4): 801-812. http://dx.doi.org/10.20502/rbg.v17i4.870

Lemos MSS, Curi N, Marques JJGSM, Ernesto SF. 1997. Evaluation of characteristics of Cambisols derived from limestone in low tablelands in northeastern Brazil: Implications for management. Pesq. Agropec. Bras. 32: 825-834. [online] URL: http://citeseerx.ist.psu.edu/viewdoc/download?doi=10.1.1.8 62.8316&rep=rep1&type=pdf

Santos EEF, Santos MHL. 2003. Influência do tempo de cultivo nas características químicas de um Latossolo no Oeste baiano. In: Congresso Brasileiro de Ciência do Solo,29. Ribeirão Preto: SBCS.

Santos RD, Lemos RC, Santos HG, Ker JC, Anjos LHC, Shimizu SH. 2013. Manual de descrição e coleta de solo no campo. Viçosa: Sociedade Brasileira de Ciência do Solo/Ed. Suprema Gráfica e Editora Ltda.

Silva JE, Lemainski J, Resck DVS. 1994. Perdas de matéria orgânica e suas relações com a capacidade de troca catiônica em solos da região de cerrados do Oeste baiano. Revista Brasileira de Ciência do Solo 18 (3): 541-547.

Silva Neto JCA. 2014. Zoneamento ambiental como subsídio para o ordenamento do território da bacia hidrográfica do rio Salobra, serra da Bodoquena - MS. Ra’ega - O Espaço Geográfico em Análise 32 (4): 119-142. [online] URL:
https://revistas.ufpr.br/raega/article/view/33263

Soares Neto JP, Bezerra ARG, Noscon ES. 2013. Probabilidade e análise decadal da precipitação pluvial da cidade de Barreiras-Bahia, Brasil. Revista Brasileira de Geografia Física 6 (3): 470-477. [online] URL: https://periodicos.ufpe.br/revistas/rbgfe/article/view/232954/26923

Souza Filho LFS. 2014. Formas de fósforo em Latossolos sob Cerrado em função do tempo de uso. Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz”,

Troppmair H, Galina MH. 2006. Geossistemas. Mercator 5(10): 79-89. [online] URL:
http://www.mercator.ufc.br/mercator/article/view/69
Publicado
2018-08-14
Como Citar
BARBOSA, Arianne de Souza et al. Principais fatores condicionantes da formação e implicações para uso de Cambissolos em São Desidério, Oeste da Bahia. Revista Espinhaço | UFVJM, [S.l.], p. 2-10, aug. 2018. ISSN 2317-0611. Disponível em: <http://revistaespinhaco.com/index.php/journal/article/view/201>. Acesso em: 22 sep. 2020.
Seção
Artigos